A CATRACA DIZ:

"A educação Política é um rio que nasce e corre pela rua onde o eleitor mora, pela sua Cidade, pelo seu Estado e pelo seu País e por fim desagua nas URNAS. Aquele que não sabe nadar, nesse rio se afoga e só pode ser salvo pelo assistencialismo. Porém sua alma permanesce condenada ao inferno(CCF 09.08.08)"

QUEM SOU!

CATRACA-PG
COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DOS TRABALHOS NA CÂMARA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE-SP
Catraca, na Língua Portuguesa tem o sentido de apertar, cingir. Esta é a missão daqueles que a mim aderirem. Queremos Colocar no plenário da Câmara Municipal de Praia Grande-SP, O maior número possível de CATRAQUEIROS, dando aos nossos Vereadores e também ao nosso Prefeito, seja ele quem for, a visão de que eles não estão sozinhos, portanto precisam pensar muito antes de fazer algo que de fato não seja do real interesse da população de Praia Grande. "O que prende um homem ao outro; sem razão, é a escravidão. O que o liberta é o pensamento. Praia Grande precisa pensar! Cabeças inertes na praça, não geram idéias. Cabeças livres transformam"!

CÂMARA -s. f., Entre outras... Conjunto de vereadores e de deputados eleitos pelo povo; conjunto de pelouros que constituem a administração municipal; edifício onde se reúne a vereação ou a assembleia legislativa...

MEU MAIOR DESEJO:

Que o MUNÍCIPE de Praia Grande, crie o hábito de ir ao plenário da Câmara Municipal de Praia Grande-SP assistir aos trabalhos desenvolvidos pelos nossos Parlamentares(Vereadores).

CATRAQUEIROS ASSUMIDOS

sábado, 3 de março de 2012

PRIMEIRA PÁGINA

O estendo como se estendesse uma toalha de linho sobre a mesa. Na sua imaginação leitor, tire a mesa e no lugar coloque um balcão. Nele, eu passo parte do meu dia numa rotina funcional necessária. Em determinado horário, sempre no começo da jornada, me prendo a leitura do jornal que assino, muito embora, leia qualquer outro ou revista que me caia a mão.
Meus olhos passeiam pelas manchetes estampadas na primeira página.
Do outro lado da rua, no meu campo visual, um “Ser” infelizmente socialmente caído, ausente de si e sem nenhum compromisso com rotinas iguais a minha, com sua sina quase nua, senta-se no concreto duro da mureta e ali parece entrar em alfa.
A imagem da Medusa no jornal chama minha atenção. Porém, não me assusta tanto quanto a magreza do cara pálida, que consumido pela droga, e em estado de larica, se deita.
Retorno meus olhos para a página, vejo que a situação na Síria está Séria.
Será que falta alguém com coragem para dar um chute no traseiro dos insanos e venais, para por fim na tirania e roubalheira.
Uma boa alma, em forma de mulher no apogeu da sua 3ª idade, traz dois pães, depois um copo de café com leite. Não para mim, para o Nóia.
O alimento desce suave pela garganta do psico. Como sentidas descem pelo rosto da Presidente, as lágrimas cerimoniais, ao despedir-se do deposto, na posse do suposto pescador de almas da Universal.
Deus aparece com força no planalto e se mostra ausente no Parque tanto quanto na mais Paulista das avenidas onde outra jovem morreu.
Meu olho no Nóia. O olho dele no meu. Retomo a leitura, com foco no esbrega, do inconformado juiz, que põe a culpa na imprensa, pela imagem infeliz que a sua Casa carrega.
O Nóia levanta-se e caminha no meio do povo, que segue para o mar do boqueirão.
Mar...de lama, no qual um BB bolinado pela corrupção via executivos atolados, caminha em rota de colisão.
No bar do Tonhão, que fica a minha direita, o batidão rola em alto e bom som pela viela.
Gostaria de estar escalando um vulcão.
A esquerda da página, em vermelho, o Chico de sempre! Canta para si mesmo.
Neste desencontro, no meu canto, pulo para a página seguinte. Ciente do que lá me espera e do que vou encontrar em todas as seqüentes. Nelas, irei confirmar o que li tatuado no peitoral do Nóia.
“SE ESPERNEAR, VAI DOER!”
Como sempre sobrevive uma esperança, amanhã eu leio o jornal de novo.

Um comentário:

Fernanda Maria Rocha Mesquita disse...

Interessante texto. partilhei no facebook